Telefone(51) 3276-1177

contato@nunesodontologia.com

ENDODONTIA

Endodontia é a especialidade da odontologia responsável pelo estudo da polpa dentária. O tratamento endodôntico também conhecido como tratamento de canal, está indicado em casos de alterações por cárie, fraturas dentárias, traumas dentários, traumas ortodônticos, lesões endo-periodontais, necessidades protéticas e outras patologias relacionadas, visando à manutenção do dente na cavidade bucal e da saúde dos tecidos periapicais. Anteriormente tido como um tratamento demorado e doloroso, nos dias de hoje é considerado rotineiro e indolor.

ENDODONTIA EM SESSÃO ÚNICA OU MÚLTIPLA

Quando falamos sobre esse assunto, o mais importante é entender o que leva alguns profissionais a realizarem a terapia endodôntica em única ou múltiplas sessões. Para isso deve-se compreender que o verdadeiro objetivo do tratamento de canal é a realização do preparo dos canais visando a limpeza completa e modelagem, estabelecendo um controle da infecção para que posteriormente se realize uma eficiente obturação.

A verdadeira causa da sessão única não é realizar a conclusão do tratamento na primeira sessão apenas pela pressa, mas sim, pelo fato de conseguir obter-se o controle da infecção através da modelagem e preparo dos canais sem ter o risco de contaminação entre sessões. Portanto, obturar o canal na mesma sessão não é um objetivo, mas sim uma conseqüência . Isto é, se houve tempo e condições de realizar o preparo completo do canal, com a devida limpeza e modelagem, deve-se obturar pois esse é o melhor momento para a obturação do canal, ou seja, quando se tem o controle da infecção. A medicação vai apenas manter descontaminado o que foi obtido pela limpeza e desinfecção.

O controle da infecção é atingido durante o preparo do sistema de canais radiculares com ação conjunta de instrumentos e substâncias químicas auxiliares de alto poder bactericida, seguidos por uma eficiente e constante irrigação com solução fisiológica, com ação na remoção dos debris promovidos durante o preparo, conduzindo dessa maneira para a etapa final.

Pode-se observar que algumas vezes o profissional prepara parcialmente o canal, coloca a medicação e sela com cimento provisório, achando que a medicação irá resolver o problema da infecção! Porém, temos observado constantemente na literatura que existe contaminação entre sessões, devido à infiltração ocorrida através destes cimentos provisórios. Dessa forma, vem sendo questionado se a medicação realmente faz diferença. Fica a dúvida se a regressão dos sinais e sintomas foi devido à medicação ou simplesmente ao eficiente preparo dos canais.

Devido a isso podemos concluir que a medicação intracanal é uma boa opção caso o profissional não tenha tido tempo suficiente de concluir em apenas uma sessão ou caso não se consiga a adequada secagem dos canais pela presença de pus. Se foi atingida a completa modelagem, preparo e secagem dos canais na primeira consulta, obtendo-se o controle da infecção, esse é o momento ideal para obturar e finalizar o tratamento endodôntico.